quinta-feira, 6 de março de 2014

Andando pelos caminhos da São Paulo Negra e Cultural II


Somente para relembrar esse projeto é uma parceria entre o Museu Afro Brasil e nossa escola, o EMEFM Vereador Antonio Sampaio, o Prince's George African American Museum & Cultural Center, e a Suitland High School patrocinado e apoiado pela Aliança Americana de Museus via a Museums Connect e Departamento de Estado dos EUA.

Após a casa de Umbanda, ainda conversamos sobre os ritos e entidades das duas principais religiões afro-brasileiras suas diferenças e semelhanças."É incrível como as pessoas são ignorantes, eles não conhecem a religião e ficam xingando, dizendo que isso é coisa ruim, sem ao menos se perguntar de onde vem isso"- foi a fala do Lucas um dos integrantes do grupo Ónarìn Kojá.
Talvez seja um dos direitos humanos mais desrespeitados no Brasil, vemos programas de televisão incitando a violência contra, discriminando as religiões de matrizes africanas, principalmente por não compreenderem que a liturgia é diferente, se para as religiões ocidentais o sermão, ou o discurso filosófico é a maior parte da liturgia para as religiões de matrizes africanas é a teatralidade e a dança as partes fundamentais do ritual sagrado.
Nos encaminhamos para o Largo do Arouche visitar o monumento erguido em homenagem a Luiz Gama uma das maiores personalidades do movimento negro na história do Brasil, para saber um pouco mais sobre nosso "Malcom X, Martin Luther King Jr" brasileiro clique aqui. Prestamos um minuto de silêncio em sua homenagem e também em memória de todos aqueles que lutaram contra a opressão aos negros.
Luiz Gama ganhou notoriedade por suas convicções políticas, um dos primeiros autores a trabalhar com o conceito de negritude, trazendo a mulher negra como musa em sua obra poética segundo o Jornalista Luiz Carlos dos Santos em seu livro publicado em 2010 pela editora Selo Negro intitulada "Luiz Gama: Retratos do Brasil Negro". Gama foi um advogado brilhante que conseguiu libertar mais de 500 escravos, um exemplo de luta com inteligência contra a opressão e o sistema escravocrata vigente no Brasil, segundo os relatos quando faleceu em 24 de agosto de 1882, uma multidão de amigos, libertos e escravos que tomaram o caixão em seus próprios ombros indo de um extremo da cidade ao levando até o cemitério da Consolação. A cidade parou para prestar suas últimas homenagens ao "Amigo de todos" estima-se que cerca de 4.000 pessoas acompanharam o féretro pela cidade, São Paulo na época havia 40.000 habitantes. Para saber mais clique aqui, esse artigo possui diversas referências externas que podem contribuir para conhecer um pouco mais sobre esse personagem da história brasileira.


A seguir fomos para a galeria dos pretos, ou galeria do rock no centro da cidade, encontramos ali os primeiros salões de black power em São Paulo, possivelmente um dos primeiros lugares a tratar sobre a identidade negra e oferecer serviços para a concepção de beleza negra. O tratamento dispensado a todos os integrantes do grupo, mostrava que ali, todos eram bem vindos também como potenciais consumidores daqueles serviços de estética e moda.
Continua